Caso de amor com Brasília

Por Natalia Carvalho

Voltar

 

Você já deve ter percebido pelo site do 60º ENCAT que temos um grande caso de amor com Brasília... A cidade possui belas paisagens naturais e um manto verde que cobre toda a área urbana do Plano Piloto. Em um simples trajeto de carro é possível avistar o Lago Paranoá, o Parque da Cidade, a Esplanada dos Ministérios e, de quebra, belas construções da arquitetura característica proposta pelo urbanista Lúcio Costa, além dos monumentos e prédios públicos desenhados pelo arquiteto Oscar Niemeyer como a Catedral de Brasília, a Praça dos Três Poderes e a Torre de TV Digital, também conhecida como a Flor do Cerrado, e escolhida como o símbolo do evento pela originalidade da obra e por ser o último projeto do renomado arquiteto.

Aliás, toda a inspiração do ENCAT no Distrito Federal está no cerrado. Bento Viana, autor da foto da página inicial do site do evento, é um carioca apaixonado por Brasília. Tanto que se considera um calango do cerrado expressão comum, bem humorada, para indicar quem nasceu e vive na capital da República. O fotógrafo destaca a biodiversidade e a luz que Brasília proporciona para suas fotos. O cerrado nos presenteia 365 dias com luzes diferentes e um pôr do sol deslumbrante. Lúcio Costa dizia que o céu é o mar de Brasília, e foi navegando nesse mar que encontrei imagens novas para mostrar ao mundo uma cidade diferente, ainda não vista, afirma.

Sementes, flores e frutos. Materiais que transbordam pelas calçadas e vias locais. Dos sabores exóticos aos perfumes, os cenários ganham ainda jardins medicinais plantados pelo vento, insetos e pássaros. Para Rosário Farias, designer floral responsável pela decoração do ENCAT, a inspiração foi trabalhar com recursos que muitas vezes são desperdiçados. É como se estivesse pintando um quadro! Imagino que, com o projeto, as pessoas se conectem àquela paisagem e se emocionem com o que estão visualizando para que percebam a natureza e o cerrado de uma forma diferente. É trazer para a realidade delas o que se sente na alma, claro, associado à técnica, ressalta. A designer adianta que a decoração vai contar com arranjos compostos de flores nativas e folhas secas, valorizando um comportamento ecologicamente correto.

Voltar